Na Ponte I: os que vão dentro

Um destes dias, andava a ver se apanhava um ou outro ciclista em trabalho e fui até à Ponte Móvel. Não foi empreitada longa, basicamente atravessar a rua, subir as escadas e deixar-me ficar por lá.

Apanhei o esse ou outro ciclista em trabalho e também muitos outros, que vou mostrar em três ou quatro postais aqui na Adega do Ciclista.

O primeiro desses três ou quatro, é dedicado aos que vão dentro e que são o ódio do homem do altifalante. São os ilegais e são a grande maioria, vá-se lá saber porquê.

dentrodentro0dentro3dentro1dentro2dentro4dentro6dentro7dentro8dentro9 dentro10 dentro11 Justiça seja feita, também os há legais, que vão tipo peão, mas são raros. Uns até dá ideia que só vão a pé para não terem que subir a rampa do meio da ponte com o cigarro aceso. apé4

pelamão pelamão2

Testemunhos a Pedal LXI e Testemunho a Pedal LXII

lessa

Estou a aperfeiçoar uma técnica para vir de bicicleta de minha casa para o estúdio quase sem pedalar.

Pá, não era preciso escrever mais nada para ter o testemunho mais preguiçoso de sempre na adega do ciclista, pois não?

Mas vou ter que escrever, porque aproveito a onda preguiçosa e publico logo dois com o mínimo de prosa possível:

  1. O do Tiago, rapaz da direita (o que tem uma bicla) e que deixou no Facebook aquela pérola lá em cima a meio do quarto dia a pedalar para o trabalho;
  2. O do Bruno que, pelo menos há uma década, nos deve um testemunho e nunca mais nos pagou. Então, mesmo sem bicicleta, o Bruno diz o seguinte:

Eu também vou de bicicleta para o trabalho. Às vezes não.